25/01/2016

Crítica de Livros - Star Wars: A Missão do Contrabandista

Bonjour!!
Porque francês? Não sei, ultimamente estou muito multicultural se podemos dizer assim :P
Enfim. Adoro essa palavra.
Hoje eu estou fazendo algo que não fazemos a muito tempo. Estou trazendo uma crítica literária!! Ehhhhhh!!
E dessa vez trouxe o livro canônico de uma das franquias cinematográficas que eu cresci vendo e amando.

"Que a força esteja com vocês"

Eu tive o prazer e a alegria de comprar a quadrilogia extra canônica de STAR WARS em livros durante a CCXP 2015 (#FoiEpico), custou o meu limite de compras (a crise tá atingindo todo mundo), mas eu não me arrependo nem um pouquinho da minha escolha :)
Pois bem meus queridos Nerd's, vamos logo a crítica antes que eu comece a cantar meu amor (que não é pequeno) a franquia.
Título Original: STAR WARS - Smuggler's Run.
Editora: Seguinte.
Autor: Greg Rucka.
Páginas: 197.
Sobre o Livro: Não pensem (JAMAIS!!) que só por ser um livro pequeno, o conteúdo é raso. Só por ser STAR WARS eu já estava jogando a bola lá em cima (já quebrei muito a cara por isso) e por mais que tivesse medo de me decepcionar eu não apenas li o livro, como reli e AMEI!! Eu não sei dizer se foi euforia de fã, mas quanto mais eu lia mais certeza eu tinha de que era STAR WARS na veia! Eu não me decepcionei em nada! Eu demorei um pouco para me ligar de fato, mas eu garanto, isso é STAR WARS. Esse é o Han Solo. Esse é o Chewbacca. Aquela é a Millenium Falcon! Honestamente, só um fã vai entender a alegria de outro fã. Mas não pensem que vão escapar! Lição de casa para todos os leitores: Ler STAR WARS - A Missão do Contrabandista!! Ah! E leiam com muita atenção meus queridos Nerd's, pois há pistas d'O Despertar da Força escondidas nas páginas do livro ;)
Resumo: Isso vai ser um pouquinho longo (e é pra imaginar aquele letreiro amarelo, ok?). Estamos no meio da guerra civil (já começou bem). A Rebelião luta para deter o imperador tirano, e sua vitória mais recente foi a destruição da estação bélica conhecida como Estrela da Morte. Mas os guerreiros rebeldes não poderão descansar tão cedo. Enquanto abandonam a base de Yavin 4, se dispersando pelo espaço para se reunir num novo ponto de encontro, um grave problema surge: soldados responsáveis por identificar lugares recônditos na galáxia para servir de base à frota rebelde foram emboscados por oficiais do Império. Apenas um deles, o tenente Ematt, conseguiu escapar. Ematt possui informações sobre os próximos destinos possíveis da Aliança Rebelde, mas está sozinho e desprotegido no venenoso planeta de Cyrkon (sempre tem alguém pior que a gente). Para resgatá-lo, a princesa Leia pede ajuda ao contrabandista Han Solo, que acabou se envolvendo com a causa rebelde a contragosto (mentira). Han Solo e seu fiel escudeiro Chewbacca (o Marley bípede das galáxias :3) queriam apenas receber seu pagamento e partir, para quitar dívidas antigas com Jabba, o Hutt. Mas a princesa consegue persuadi-los a ajudar a Aliança mais uma vez (Chewie tem coração mole e ajudou). A bordo da Millenium Falcon, a dupla parte para Cyrkon e logo percebe que a missão será bem complicada, já que o caçador virou a caça (parece que o jogo virou, não é mesmo?): Han Solo está sendo procurado por todos os contrabandistas da galáxia, que querem levá-lo a Jabba para receber uma alta recompensa. Para piorar, a oficial do Império Alecia Beck também está no planeta procurando por Ematt. Agora, Han precisa encontrar o tenente e fugir dali o quanto antes - para seu próprio bem.
Minha Crítica: Eu preciso mesmo dizer que amei? Vamos ser mais práticos, vamos dizer porque eu amei. A narrativa era em terceira pessoa e eu já achei isso muito bom porque, além de dar a onisciência ao autor, não distorceu nenhum personagem em nenhum grau (não que eu duvide da capacidade do autor, eu só acharia estranho estar dentro da cabeça do Han Solo, por exemplo, e do nada ele pensar que a Leia é bonita), então isso já foi um ponto extra gigantesco pra mim. Os personagens foram maravilhosamente trabalhados na minha opinião, você consegue sentir a arrogância do Han Solo, você consegue sentir a devoção do Ematt, você consegue sentir o ódio da Alecia Beck, você consegue sentir a gana dos outros contrabandistas em pegar o Han Solo, você consegue sentir os rosnados do Chewie. Um livro que te faz sentir o que o personagem sente já está em outro nível. As cenas de ação e esperteza de Han e Chewie não deixam nada a desejar, eu realmente enxergo o Han e o Chewie ali (aliais, devo parabenizar o autor por conseguir transferir tão bem os personagens para a literatura). A descrição também foi muito bem feita, em poucas linhas você já conseguia imaginar o cenário inteiro, um personagem inteiro e até mesmo as lindas e maravilhosas naves. Tem hora que a gente se enrola com as raças alienígenas, mas uma pesquisa rápida no Google salva qualquer um e uma vez que você assimilou a raça o Google já não é mais necessário (não é vergonha procurar, nem mesmo o fã mais loko de STAR WARS sabe tudo na ponta da língua). E o mais importante! Ao menos na minha opinião. Por mais que você saiba o destino de todos os personagens por conta dos episódios IV, V e VI, tem momentos em que você passa por um verdadeiro desespero, aflição, agonia, como quiser chamar. Teve um momento que eu cheguei a suspirar de alivio, mesmo sabendo o destino de todo mundo eu suspirei de alivio. Só posso dizer que este livro merece estar na minha cabeceira e na de muita gente :)
Minha avaliação fica em: ❤ ❤ ❤ ❤.
Eu não preciso dizer que amei de novo, né? Pois bem, parei de enchê-los com meu amor de fã XD
Desejo a todos uma Miss Fortune e espero que tenham gostado. Bjs.